domingo, 21 de outubro de 2012

Lua de bruxos

Pra Rosinha

Totó é bruxo de língua cansada
Onde está desenhada cada palmo
de uma Terra sem Sul

Abana tempestade encanta janela
Que voando se esfarela
No sonho da moça partindo
pro azul

simbora,
Espantalho

Te solta da cruz
encruzilhada é lido:
razão jazera

Nu, palhas queimado
Cambaleia juízo
Engata estrada
Dança em busca
Medo emboscado

Fogo do tempo, ponteiro incendiado
Amolecendo horas
Totó, o bruxo, decola
no escuro
Seguindo o chamarado
Do Leão

Escondido por detrás da lua
Tremendo sombra
desafinada a garra
Que canta, simula
uma coragem de rei

Caminho sem vinda
No canto sussurra Totó,
o bruxo de língua cansada:
A vida é de lata
A morte é prova de juba
Crescer é se desfazer de palha





Nenhum comentário:

Postar um comentário