terça-feira, 23 de outubro de 2012

"em cada conto se aumenta um ponto" (Ruben Franca)

olhem o que descobri:

lendo o poema Teu Corpo Claro e Perfeito, do Bandeira http://cseabra.utopia.com.br/poesia/poesias/0612.html

fui procurar de onde vem esse "pomo doirado"

e, como tenho formação cristã na juventude, fiquei achando que o Colégio Santa Maria se esqueceu de me ensinar sobre mitologias, e o quanto que um elemento de mitologias pode ser deturpado à mercê do interesse.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pomo_de_ouro

Fiquei pensando, será que a mitologia de Eva e a maçã era a mesma antes de o Império Romano oficializar o cristianismo?

domingo, 21 de outubro de 2012

O amor no meio de todos os queijos



Pra Lulu e
Ibrahim Ferrer

à espera de um talharim à 4 queijos
o amor no meio de todos os queijos
tentando nadar
de peito mussarela
um crau roquefort
um reino de costas
uma borboleta gorgonzola

uma piscina cheia de azul
no cinza do Malecón
na câmera lenta da saudade
me sinto seco
mesmo mergulhado em você

yo nunca me olvidaré
dos fins de tarde
do nosso começo
mormaço que ninava
nossa vontade de deitar
e do sol
que nos pintava de vermelho

Lua de bruxos

Pra Rosinha

Totó é bruxo de língua cansada
Onde está desenhada cada palmo
de uma Terra sem Sul

Abana tempestade encanta janela
Que voando se esfarela
No sonho da moça partindo
pro azul

simbora,
Espantalho

Te solta da cruz
encruzilhada é lido:
razão jazera

Nu, palhas queimado
Cambaleia juízo
Engata estrada
Dança em busca
Medo emboscado

Fogo do tempo, ponteiro incendiado
Amolecendo horas
Totó, o bruxo, decola
no escuro
Seguindo o chamarado
Do Leão

Escondido por detrás da lua
Tremendo sombra
desafinada a garra
Que canta, simula
uma coragem de rei

Caminho sem vinda
No canto sussurra Totó,
o bruxo de língua cansada:
A vida é de lata
A morte é prova de juba
Crescer é se desfazer de palha